Serviço Militar Obrigatório

França quer restituir serviço militar obrigatório – Isso é bom?

O presidente da França, Emmanuel Macron, quer restabelecer o serviço militar obrigatório para jovens cidadãos franceses.

O conceito inicialmente parece surpreendente para o líder marcadamente moderno. O serviço militar obrigatório é um pensamento desconfortável para muitos, chamando a atenção para os horrores da guerra civil americana, das Guerras Mundiais e da guerra do Vietnã, quando os jovens foram recrutados contra a sua vontade.

Em tempos de paz, porém, o serviço militar tem uma função completamente diferente. Argumentando para a instituição do serviço militar obrigatório nos Estados Unidos, o estudioso de estudos de governança William Galston teorizou sobre os efeitos negativos de depender de uma força de voluntários, e os benefícios potenciais de um período limitado de serviço cívico.O Serviço Nacional proposto na França enfatiza o dever cívico, é brando o suficiente para evitar ser estritamente militarista, e se estende por menos de um ano.

Ele escreve que o recrutamento baseado em voluntários contribui para o que ele chama de “cidadania opcional-a crença de que ser um cidadão envolve direitos sem responsabilidades e que precisamos fazer pelo nosso país apenas o que escolhemos fazer.”Em outras palavras, confiar em uma força voluntária enfraquece a noção pública das responsabilidades inerentes à cidadania, e—como uma extensão—um senso de dever para com os concidadãos. Galston observa o poder do serviço comunitário para promover um senso de solidariedade e país. Sem ela, argumenta ele, uma nação é mais suscetível a conflitos internos, e menos resiliente diante de ameaças externas, sejam elas políticas, ambientais ou outras.

Militar Francês

Galston é claro que seu apoio ao serviço militar obrigatório não reflete de forma alguma um apoio do projeto. “É difícil ver como uma pessoa razoável poderia preferir esse sistema fatalmente falho aos arranjos de hoje”, ele escreve, observando que a ideia de serviço universal seria promover a cidadania ativa entre as diferenças socioeconômicas.

A população francesa parece concordar. Embora haja murmúrios de descontentamento, a BBC relata que 60% da população está em apoio da ideia, pelo menos de alguma forma. Atualmente, o serviço proposto enfatiza o dever cívico, é brando o suficiente para evitar ser estritamente militarista, e se estende por menos de um ano.

A Europa está sem dúvida dividida, e a França está a suportar um fardo cada vez mais pesado para manter a União Europeia Unida. Um sentimento de comunidade e solidariedade será crucial para levar a nação ao longo dos próximos anos. Parece que o objetivo final de Macron é criar laços sociais mais fortes entre os membros individuais da Juventude da França, apesar de suas diferentes origens, uma ideia compartilhada por Galston.